Brasiliense recebe Oeste pela Copa do Brasil

Arte: Lucas Bolzan/DF Sports

O momento é péssimo. Em quatro jogos oficiais no ano de 2018, o Brasiliense venceu apenas um. Apesar dos quatro pontos conquistados em três jogos pelo Candangão e de estar dentro da zona de classificação para a segunda fase, o futebol apresentado dentro de campo é considerado muito abaixo do elenco que o clube tem a disposição. Na Copa Verde, competição que o clube brigou judicialmente e fez questão de participar, a estréia foi com derrota para o Atlético-ES e novamente jogando mal.

Para o treinador amarelo, Rafael Toledo, campeão candango com o time em 2017, as notícias também não parecem ser animadoras. De acordo com fontes do DF Sports, o técnico estaria com a corda no pescoço e, em caso de novo tropeço, será fatalmente demitido.

E se for levar em consideração o calendário, o Brasiliense terá uma semana de definições. Antes do clássico contra o Gama, na sexta-feira (9), o Jacaré enfrenta o Oeste nesta terça-feira (6) pela Copa do Brasil, clube de Barueri-SP e que atualmente está na Série B do Brasileirão. Se conseguir dois bons resultados, Rafael Toledo pode salvar seu emprego e o Brasiliense pode finalmente engrenar na temporada. Mas, em caso de derrota já no próximo jogo, dias turbulentos deverão rondar o atual campeão do Distrito Federal.

BRASILIENSE

Além de Rafael Toledo, todo o grupo de jogadores também está pressionado. Quem acompanha o time a mais tempo sabe que a diretoria e a torcida não costumam perdoar resultados e atuações ruins. Jogadores como Cicinho, contratado como grande estrela, Bruno Fuso, Gérson, entro outros, já começam a ser questionados pelos torcedores do Jacaré. Apenas Souza, Radamés e Reinaldo escapam das críticas, que se direcionam principalmente ao setor defensivo.

Para dar a resposta dentro de campo, o grupo de atletas terá nesta terça uma grande oportunidade: bater um time de Série B, que vem de um 2017 muito bom e começou 2018 de forma arrasadora. O tempo de preparação para esse jogo foi pouco (apenas dois dias). Mas, ainda assim, os jogadores terão o apoio das arquibancadas como ânimo para fazer bonito no Mané Garrincha.

O time titular, no entanto, é um mistério. Sucuri substituiu Bruno Fuso, mas cometeu dois pênaltis fatais nos últimos dois jogos. Patrick começou o ano como titular, perdeu posição para Cicinho e depois retomou a vaga. Mário Henrique ganhou a vaga de Gérson na esquerda no último jogo e Reinaldo não deve se recuperar a tempo de jogar a partida. A definição de quem entrará em campo na batalha decisiva deve sair momentos antes do jogo começar.

OESTE-SP

Sexto colocado da última Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, o Oeste por pouco não conseguiu o acesso para à Primeira Divisão. Apostando na manutenção do elenco e no entrosamento, a diretoria do clube paulista não mediu esforços para segurar seus principais jogadores em 2018 e conseguiu. Quase todo o time titular foi mantido e os resultados já começaram a aparecer novamente. O Oeste hoje é líder isolado da Série A2 (Segunda Divisão de São Paulo), tendo ganho quatro de seus cinco jogos oficiais até o momento.

O único tropeço do grupo no Paulistinha foi um empate fora de casa, contra o Rio Claro-SP, ainda na segunda rodada. Dono de um ataque poderoso, liderado por Mazinho (artilheiro da Série B 2017), o time de Barueri-SP marcou doze gols até o momento e sofreu apenas dois. Péssima notícia para o Brasiliense que, até aqui, sofreu gols em todas as partidas que disputou.

O comandante do time rubro-negro é um velho conhecido do Jacaré. Roberto Cavalo já passou pelo Gama e conhece bem o futebol do Distrito Federal. Na partida desta terça-feira, o Oeste terá a vantagem do empate por jogar fora de casa, mas a julgar pelos últimos jogos, o time vem ao Mané Garrincha na busca por mais uma vitória.

Os ingressos para o jogo estarão a venda nas bilheterias do estádio e custarão R$ 10,00.

FICHA TÉCNICA

BRASILIENSE x OESTE

Copa do Brasil – Primeira Fase

Estádio Mané Garrincha, Brasília-DF

Terça-Feira, 06/02/2018 – 20h

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo/RJ

A1: Luiz Cláudio regazone/RJ

A2: Gabriel Conti Viana/RJ

4º árbitro: Luiz Paulo Aniceto/DF

Analista de campo: Rodrigo Paulino/DF

BRASILIENSE

Edmar Sucuri (Bruno Fuso); Patrick (Cicinho), Wallace, Badhiuga e Mário Henrique; Radamés, Aldo e Souza; Romarinho, Elcarlos (Fabinho) e Nunes.

Técnico: Rafael Toledo

OESTE

Rodolfo; Daniel Borges, Joilson, Leandro Amaro e Willian Cordeiro; Lídio, Betinho e Wallace Bonilha; Mazinho, Henrique e Bruno Lopes.

Técnico: Roberto Cavalo

Por Pedro Breganholi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *