Cerrado Basquete: Um projeto além da Liga Ouro

Por Lucas Bolzan

Fotos: Lucas Bolzan

Buscando se consolidar de vez no cenário do basquete do Distrito Federal e nacional, o Cerrado Basquete estende o projeto além das quadras, além de apenas a montagem do time para a disputa de competições. Com o objetivo de firmar o nome de vez perante a sociedade e os torcedores, a principal meta da diretoria da é angariar pessoas, fortalecendo essa identidade.

Diante disso, o gestor da equipe, Dimitri Rodrigues, se tornou pioneiro do primeiro núcleo social de basquete no DF, localizado em São Sebastião. Com um evento realizado na quadra 102 da cidade satélite, a Associação Esportiva e Recreativa do Cerrado Basquete, juntamente com a administração de São Sebastião, deram o primeiro passo no projeto durante a manhã desta quarta-feira (15).

Com um trabalho de união e bastante trabalho, Dimitri, feliz com a realização de mais um sonho pessoal e profissional, afirma que a estrutura estará sempre aberta a população. “Foi um trabalho de parceria com a comunidade. Conseguimos as tintas e o povo que pintou. As tabelas cedemos, sendo uma doação nossa para a administração que entrou com toda a mão de obra, para montar toda a estrutura”, revelou.

“As pessoas de São Sebastião que gostam de basquete não tinham uma quadra apropriada para a prática do esporte. Nenhuma quadra aqui na cidade, sequer tinha duas tabelas inteiras e, então, hoje eles tem um local para treinar, para brincar e onde ofereceremos aulas de ensino da modalidade para a própria comunidade, que é o nosso foco”, continuou Dimitri.

Formação de atletas e incentivo ao esporte

A quadra reformada não foi apenas para a diversão da garotada ou de quem ama o basquete, praticar o esporte. A estrutura cedida terá grande funcionalidade, principalmente para aulas de basquete que o Cerrado proporcionará para quem se interessar.

 

Visando uma parceria com profissionais de Educação Física, a parceria será comandada por um coordenador, Alexandre, professor da UNB e doutor em basquete, que prestará consultoria na formação dos profissionais como instrutores que comandarão os núcleos.

Missão: estender pelo DF

Usando São Sebastião como cidade inicial do projeto, o grande objetivo do Cerrado é, até o próximo ano, estender o projeto para outras cidades do DF e do entorno, sembre buscando parcerias. “Nosso plano, quanto ao projeto, é que possamos levar esse núcleos de formação para todas as regiões administrativas e não só aqui em Brasília, mas sim no entorno, basta que possamos construir uma parceria com administrações, parcerias, pessoas que também possa colaborar na manutenção desses núcleos, mas as pessoas estão recebendo muito bem e a ideia é abrirmos no próximo ano mais dois núcleos e assim, seguirmos para que no ano que vem possamos tomar todas as regiões administrativas com nossos núcleos”, completou Dimitri.

Inscrições

De acordo com o gestor, as inscrições estarão abertas para a comunidade, em parceria com a administração. A previsão principal é que se iniciem no final de novembro, para que as atividades se iniciem em dezembro.

 

 

A quadra com o tamanho oficial, terá também todo o equipamento de uso profissional, e o grande objetivo da diretoria do Cerrado é aproximar todo esse clima à população. “A quadra é da comunidade e a parceria com eles foi justamente para disponibilizarmos a estrutura para o público, porque nós poderíamos fazer isso em uma instituição privada, dentro de um local fechado, mas o que queremos é isso, locais abertos e sempre disponíveis na comunidade, para praticar o basquetebol, como um acesso livre, acesso público”, ponderou.

O Cerrado Basquete disponibilizará em breve formulários em suas redes sociais para a realização das inscrições.

Os comentários estão encerrados.