Primeiro capítulo: maiores campeões!

Arte: Pedro Breganholi/DF Sports

Por Pedro Breganholi

Arte: Pedro Breganholi

O 43º Campeonato de Futebol Profissional da 1ª Divisão só começa no dia 20 de janeiro de 2018. Porém, o DF Sports, com a preocupação em deixar os leitores bem informados, traz um esquenta para a competição. Para começar a série, apresentamos a lista dos seis maiores campeões do Candangão. Alguns dos times listados abaixo são óbvios. Já outros, aposto que você nem imaginava fazer parte deste grupo. Vamos à lista?

1- Sociedade Esportiva do Gama (11 títulos)

O time com maior torcida do Distrito Federal é também o maior campeão. Detentor de 11 títulos, o Gama, fundado em 1975, venceu seu primeiro campeonato em 1979. De lá pra cá, o time não parou de crescer e viveu seu grande momento no final dos ano 90, início dos anos 2000, quando foi pentacampeão estadual entre 97 e 2001 e chegou à Série A do Campeonato Brasileiro. Voltou a ser campeão em 2003, mas depois viu o Brasiliense surgir e dominar o cenário por algum tempo.

Atualmente, o maior campeão do DF vive dias de incerteza e busca se reerguer após más administrações que fizeram com que o clube, que um dia já foi da elite do futebol brasileiro, permanecesse sem nenhuma divisão nacional para disputar. A última conquista foi em 2015, levantando o caneco do Candangão.

2- Brasiliense Futebol Clube (9 títulos)

Fundado em 2000, pelo ex-senador Luiz Estevão, o Brasiliense Futebol Clube nasceu com DNA de campeão. Em cinco anos, conseguiu chegar à elite do futebol brasileiro, conquistou dois títulos nacionais e foi vice-campeão da Copa do Brasil em 2002, numa campanha memorável, derrubando gigantes do futebol nacional, como Fluminense, Atlético-MG. Não desbancou o Corinthians na final por causa de uma catastrófica atuação da arbitragem.

Entre 2004 e 2013, o Jacaré conquistou oito campeonatos candangos, sendo interrompido apenas pelo Ceilândia, em 2010 e 2012. Em 2010, acabou rebaixado à Série C do Brasileiro e, em 2013, caiu para a Série D. Por não ter conseguido o acesso em 2014 e não ter vencido o estadual daquele ano, o Brasiliense desde então não disputa nenhuma divisão nacional, exceto em 2014, quando deixou a Série D para o Brasil-RS, nas quartas de final. Com o título de 2017, a equipe estará de volta à Quarta Divisão nacional em 2018.

3- Brasilia Futebol Clube (8 títulos)

O Brasília Futebol Clube (fundado como Brasília Esporte Clube) nasceu no ano de 1975. O colorado, como é conhecido pelos torcedores, adotou como mascote um avião, clara referência ao Plano Piloto e à Brasília, local onde o clube foi estabelecido. Logo no ano seguinte o seu nascimento, conquistou o tricampeonato candango (76-77-78) e voltou a vencer em 1981, 83, 84 e 85.

Daí em diante, o time passou por altos e baixos. Decretou falência no final da década de 90 e foi refundado com o nome atual. Voltou com as cores da bandeira do Brasil, mas fracassou mais uma vez e caiu para a Segunda Divisão local em 2001. A oscilação continuou nos anos seguintes e, mesmo com a ajuda do Gama, o time chegou a extinta Terceira Divisão do DF. O Brasília só voltaria a chamar atenção no cenário local em 2013, quando foi vice-campeão da divisão principal e, em 2014, quando foi campeão da Copa Verde. Entre 2013 e 2015, o colorado chegou a três finais estaduais e foi vice em todas, perdendo para Brasiliense, Luziânia e Gama. Com a saída dos presidentes que investiam no clube, em 2017, o Brasília teve a segunda pior campanha do Candangão e acabou rebaixado novamente.

4- Taguatinga Esporte Clube (5 títulos)

Surgindo em Janeiro de 1974, o Taguatinga Esporte Clube é até hoje lembrado pelos torcedores do Distrito Federal, principalmente da cidade que deu nome e vida ao time. O primeiro título local veio em 1981, mas o grande momento do time foi mesmo no fim da década de 80 e início da década de 90. Em 1989, o TEC conquistou seu segundo título, sendo depois tricampeão, entre 91 e 93.

Chegou a representar o DF no cenário nacional por diversas vezes e a realizar importantes partidas no estádio Serejão, na própria cidade. Porém acabou rebaixado para a Segunda Divisão local em 1996. Depois de retornar à elite, no ano seguinte, em 1999 o time amargaria outro rebaixamento e, de forma oficial, nunca mais seria visto em campo.

Ainda hoje, quase 20 anos após o “sumiço”, muitos torcedores não aceitam o fim do TEC. O Atlético Taguatinga, que surgiu em 2015, sofre com a “rejeição” do povo da cidade, que não aceita ser representado por outro Taguatinga, a não ser o saudoso time da Águia. Ex-jogadores do clube se reencontram frequentemente para bater bola e colocar o papo em dia e, todos os anos, surgem boatos de que o clube vai voltar à ativa. Atualmente disputa a Copa Brasília de Juniores, como time amador, liderado pelo artilheiro Joãozinho, que fez história no futebol de Brasília.

5- Rabello Futebol Clube (4 títulos)

O Rabello Futebol Clube teve sua sede no Plano Piloto, centro de Brasília. Ganhou este nome por ser oriundo da construtora Rabello, umas das responsáveis pela construção de nossa capital. Foi fundado em 17 de agosto de 1957 e disputou sua primeira competição oficial em 1960. Em 1964 engatou uma sequência avassaladora de títulos, sendo tetracampeão nos anos seguintes. Depois do vice-campeonato de 1968 e uma péssima campanha em 1969, o time se licenciou no início da década de 70 e fechou as portas oficialmente em 1971.

6- Defelê Futebol Clube (4 Títulos)

Em 1959, na Vila Planalto, surgia o DFL, Departamento de Força e Luz Futebol Clube. O nome, claro, se deu pois o time foi criado a partir do Departamento de Força e Luz da Novacap, grande incentivadora do time. A história conta que, através do narrador Jorge Curi o DFL virou Defelê, pois ele entendia que seria mais fácil e mais “audível” chamar o time assim.

Mandando seus jogos na Vila Planalto, num modesto estádio que até hoje está de pé e leva o nome do time, o Defelê conquistou suas grandes glórias. Venceu o Candangão um ano após ser fundado e repetiu o feito nos dois anos seguintes, conquistando assim o tricampeonato (60-61-62). Voltou a vencer o campeonato pela último vez ainda na década de 60, no ano de 1968. Após o rebaixamento, em 1970, a Novacap deixou de apoiar o futebol do Defelê, que fechou as portas oficialmente.

Hoje em dia, o estádio do Defelê é utilizado para partidas amadoras e jogos das categorias de base do DF. Chegou a ser campo de treinos do CFZ campeão candango em 2002, além de um período ser ocupado também pelo Brasília Futebol Clube.

Os comentários estão encerrados.