Da euforia à frustração: Ceilândia termina 2022 sem títulos

julho 22, 2022 0 Por Admin

/* inline tdc_css att */ .tdi_17{ text-align:left !important; position:relative; } /* custom css */ .tdb_single_content{ margin-bottom: 0; *zoom: 1; }.tdb_single_content:before, .tdb_single_content:after{ display: table; content: ”; line-height: 0; }.tdb_single_content:after{ clear: both; }.tdb_single_content .tdb-block-inner > *:not(.wp-block-quote):not(.alignwide):not(.alignfull.wp-block-cover.has-parallax):not(.td-a-ad){ margin-left: auto; margin-right: auto; }.tdb_single_content a{ pointer-events: auto; }.tdb_single_content .td-spot-id-top_ad .tdc-placeholder-title:before{ content: ‘Article Top Ad’ !important; }.tdb_single_content .td-spot-id-inline_ad0 .tdc-placeholder-title:before{ content: ‘Article Inline Ad 1’ !important; }.tdb_single_content .td-spot-id-inline_ad1 .tdc-placeholder-title:before{ content: ‘Article Inline Ad 2’ !important; }.tdb_single_content .td-spot-id-inline_ad2 .tdc-placeholder-title:before{ content: ‘Article Inline Ad 3’ !important; }.tdb_single_content .td-spot-id-bottom_ad .tdc-placeholder-title:before{ content: ‘Article Bottom Ad’ !important; }.tdb_single_content .id_top_ad, .tdb_single_content .id_bottom_ad{ clear: both; margin-bottom: 21px; text-align: center; }.tdb_single_content .id_top_ad img, .tdb_single_content .id_bottom_ad img{ margin-bottom: 0; }.tdb_single_content .id_top_ad .adsbygoogle, .tdb_single_content .id_bottom_ad .adsbygoogle{ position: relative; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-left, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-right, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-center{ margin-bottom: 15px; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-left img, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-right img, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-center img{ margin-bottom: 0; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-center{ text-align: center; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-center img{ margin-right: auto; margin-left: auto; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-left{ float: left; margin-top: 9px; margin-right: 21px; }.tdb_single_content .id_ad_content-horiz-right{ float: right; margin-top: 6px; margin-left: 21px; }.tdb_single_content .tdc-a-ad .tdc-placeholder-title{ width: 300px; height: 250px; }.tdb_single_content .tdc-a-ad .tdc-placeholder-title:before{ position: absolute; top: 50%; -webkit-transform: translateY(-50%); transform: translateY(-50%); margin: auto; display: table; width: 100%; }.tdb_single_content .tdb-block-inner.td-fix-index{ word-break: break-word; }@media (max-width: 767px) { .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-left, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-right, .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-center { margin: 0 auto 26px auto; } }@media (max-width: 767px) { .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-left { margin-right: 0; } }@media (max-width: 767px) { .tdb_single_content .id_ad_content-horiz-right { margin-left: 0; } }@media (max-width: 767px) { .tdb_single_content .td-a-ad { float: none; text-align: center; } .tdb_single_content .td-a-ad img { margin-right: auto; margin-left: auto; } .tdb_single_content .tdc-a-ad { float: none; } }@media print { .single .td-header-template-wrap, .single .td-footer-template-wrap, .single .td_block_wrap:not(.tdb_breadcrumbs):not(.tdb_single_categories):not(.tdb-single-title):not(.tdb_single_author):not(.tdb_single_date ):not(.tdb_single_comments_count ):not(.tdb_single_post_views):not(.tdb_single_featured_image):not(.tdb_single_content) { display: none; } .single.td-animation-stack-type0 .post img { opacity: 1 !important; } } .tdi_17_rand_style > .td-element-style-before { content:” !important; width:100% !important; height:100% !important; position:absolute !important; top:0 !important; left:0 !important; display:block !important; z-index:0 !important; background-position:left top !important; background-size:cover !important; } – Continua após a publicidade –

O Ceilândia não jogará mais em 2022. Mesmo após a vitória sobre o Costa Rica por 3 a 0, o Alvinegro foi eliminado da Série D do Campeonato Brasileiro. A vitória do Operário sobre o Iporá adiantou as férias do Gato Preto. O próximo compromisso oficial ocorrerá somente em 2023, pelo Candangão. A Copa Verde seria a última competição do calendário, entretanto, foi cancelada pela CBF.

Ao torcedor ceilandense, vários questionamentos vêm a tona. Desmanche do elenco, sequência ruim, demora de adaptação dos reforços, são alguns dos motivos para a derrocada. O Distrito do Esporte fez a reconstrução da campanha do Ceilândia em 2022. Da sequência positiva no Candangão, passando pela classificação em Santa Catarina pela Copa do Brasil, até a queda na Série D.

Ceilândia 2022: expectativa alta

Foto: Lucas Bolzan/Distrito do Esporte

O começo do Ceilândia no Campeonato Candango foi no mínimo animador. A estreia com vitória sobre o Gama por 3 a 0 e os 16 pontos conquistados em seis jogos aumentaram as expectativas do elenco alvinegro. Cabralzinho, Hiwry e Romarinho tiveram o início dos sonhos e o Gato Preto assumiu a liderança isolada da primeira fase do torneio local.

Campanha histórica na Copa do Brasil

Foto: Eduardo Valente/Direitos Reservados/Proibida a reprodução – Continua após a publicidade –

As duas primeiras derrotas no ano vieram: goleada sofrida por 5 a 1 para o Brasiliense e derrota de virada para o Capital por 3 a 2. Apesar das derrotas, o Gato Preto terminou como líder e avançou ao quadrangular semifinal. Com o fim da primeira fase do Candangão, a equipe ceilandense teve um mês para se preparar para a Copa do Brasil e a história foi escrita. Na primeira fase, vitória por 2 a 0 sobre o Londrina e classificação garantida.

Na segunda fase, um adversário da elite do futebol brasileiro: o Avaí. O jogo na Ressacada, em Florianópolis teve todos os ingredientes necessários para um jogo histórico (chuva, expulsão e gol no final). Gabriel Vidal marcou um golaço aos 42 do segundo tempo e colocou o Ceilândia na terceira fase da Copa do Brasil pela primeira vez na história. Além da conquista futebolística, os cofres da equipe agradeceram: quatro milhões de reais na conta.

Vice para o algoz e desmanche

Foto: Jonas Pereira/Distrito do Esporte

Na final do Candangão o Ceilândia foi valente, mas com uma derrota e um empate, o título ficou com o Brasiliense. A pedra no sapato do Gato Preto não perdeu nenhum duelo em todo o ano, mesmo após sete partidas (cinco derrotas e dois empates). Para piorar, metade do time titular do Gato Preto saiu após a decisão. Entre eles o craque do Campeonato Candango, Cabralzinho e o artilheiro do ano, Romarinho (ambos para o Brasiliense).

◉ Fique por dentro – Samambaia anuncia treinador com passagens por Brasília e Sobradinho – Segundinha: Mais um clube define seu estádio na competição – Brasiliense se prepara para fase final da Série D 2022 Michel Platini assina com o Samambaia para a disputa da Segundinha

Derrotas para o Botafogo e começo positivo na D

Ceilândia perfilado antes do jogo da Copa do Brasil contra o Botafogo – Foto: Alan Rones / Ceilândia E.C.

Com todas as dificuldades possíveis, o treinador Adelson de Almeida encaixou as reposições e o começo na Série D não poderia ser melhor: três vitórias e um empate nos quatro primeiros duelos. A eliminação para o Botafogo na Copa do Brasil era algo já esperado e pouco foi sentida.

Jejum, mudanças e eliminação

Foto: CEC Torcedor | @ceilandia_ec

Quando tudo parecia sobre controle, dois confrontos contra o Jacaré abriram a péssima sequência ceilandense na quarta divisão nacional. Foram 5 derrotas e dois empates, totalizando sete partidas sem vitórias. Nesse meio tempo Watthimem, Thiago Magno, Gabriel Vidal (um dos pilares da equipe) deixaram o plantel. Um nome anunciado no término do Candango fez sua estreia de maneira tardia: Felipe Clemente, destaque do Capital, foi decisivo e marcou três gols em quatro jogos.

Ferrugem (oriundo do Jacaré) e atletas como Maycon Valeriano e Thiago Juan também foram contratados, contudo, a vaga no G4 na primeira fase da Série D foi ficando distante. Longe da briga pela liderança, o Gato Preto passou a figurar na parte inferior da tabela. A derrota mais sentida, certamente, foi para o Ação. E equipe do Mato Grosso foi rebaixada em seu estadual e ganhou apenas um jogo em 2022: justamente contra o Ceilândia.

Matheus Falero e Igor foram os últimos a sair, dias antes da decisão contra o Costa Rica. Ambos foram para o exterior. A vitória como visitante, tida como difícil, veio e por 3 a 0. No entanto, a consequência da péssima sequência foi sentida e o Operário venceu e se manteve no G4. O Ceilândia terminou na 5ª colocação do grupo A-5.

Para Gabriel Vidal (destaque do Ceilândia em 2022), alguns erros foram determinantes. Apesar da saída conturbada do Gato Preto, o defensor desejou sorte ao clube e se mostrou na torcida “É complicado. A gente vinha de um trabalho ótimo, tivemos algumas perdas no meio do caminho e isso foi só nos complicando. Precisamos refazer montagem de elenco, muitos atletas novos e no decorrer da competição aconteceram algumas demissões que não cabem a nós entendermos, e isso foi só nos prejudicando”, declarou o atleta.

“Mas creio que estão vendo que as coisas que eles fizeram esse não obtiveram êxito. Contudo, creio que 2023 será um ano abençoado, com calendário cheio e novas metas. E o mais importante, conseguir títulos. Que fique o aprendizado. Ano que vem é lutar e trabalhar, que se Deus quiser o título estadual será do Ceilândia”, completou Vidal.

– Publicidade –